Sr. Zuckerberg também é editor de conteúdo (CANNES – FRANÇA )
Publicado por

Sr. Zuckerberg também é editor de conteúdo (CANNES – FRANÇA )

Ao contrário do que a maioria pensa, eu acredito que o Facebook tem obrigação de restringir conteúdos agressivos, como a grande publicação que é

Hoje, no meu segundo dia inteiro em Cannes, vi uma palestra de manhã do Mario Testino — incrível! — Falando sobre a indústria de moda e como tudo está mudando.

Mas passei o resto do dia todo no STREAM. Uma “unconference” organizada pelo grupo WPP para clientes, agências e empresas de mídia/tecnologia.

O dia foi MUITO produtivo com palestras e mesas redondas lideradas pelo Sir Martin himself. Mas o assunto do dia foi a responsabilidade editorial das novas empresas de mídia.

Falou-se muito do Facebook e como o Sr. Zuckerberg é hoje o editor in chief da maior “publicação” do planeta e a responsabilidade que deveria se ter com isso. Sim, muita gente acha que se o Facebook fizesse uma curadoria de conteúdo publicado mais forte, estaria restringindo a mídia e o direito de expressão. Já eu, assim como muitos outros, inclusive os editores do New Yorker e do New York Times que falaram lá hoje, achamos que o Facebook tem uma responsabilidade enorme como editor de conteúdo e que deveria sim assumir essa responsabilidade de uma maneira muito mais ativa curando o conteúdo publicado. Estamos falando de “censurar” conteúdo relacionado a terrorismo, racismo, exclusão no geral, ódio e harassment.

Eu nunca antes havia pensado no Facebook com essa lente — a maior publicação do mundo, na qual o sr. Zuckerberg, é o editor in chief.

E, relacionado ao mesmo assunto, vimos também uma palestra do CEO do Jigsaw — uma das mais novas empresas do grupo Alphabet, que esta tentando, através de algoritmos, prever e trackear conteúdo também relacionado a terrorismo, crimes e racismo em geral na internet. A tecnologia descrita por ele é incrível mas, de novo, eles estão identificando muitas vezes fontes, grupos de pessoas ou bots “patrocinados” por governos, mas ainda não fazem nada com isso. Identificam essas fontes, mas e aí? Porque não desativar ou bloquear as contas quando se tem indícios suficientes de que as pessoas por trás disso tem motivos ou razões escusas??

Eu acho liberdade de imprensa muito importante, mas dentro dessa nova realidade que estamos entrando o Facebook e o Google tem sim uma responsabilidade enorme para conter crime em geral no mundo, que hoje, em parte, esta sendo “organizado”através das mídias socias.

Fico no aguardo dos próximos capítulos.

Fonte:m&m /Danielle Bibas – Vice-presidente global de marcas, comunicação e conteúdo da Avon

0 0 620 21 junho, 2017 2por1, Fique Por Dentro junho 21, 2017

Sobre o autor

CEO e Co-fundador da 2/1 Revista Eletrônica, Relações Corporativas, Ombudsman, atuou no Jornal O GLOBO (GRUPO GLOBO), Diário da Tarde (Diários Associados), Pohlig Heckel do Brasil (Grupo Belgo Mineira) e Diretor de Relações Públicas do Rotary Club

Ver todos os artigos por Jean Hausemer

Postagens relacionadas

Artigos recentes

  • 2/1 Revista Eletrônica
    2/1 Revista Eletrônica
  • VAC – CONTEMPORÂNEO APRESENTA: RUFO HERRERA E O BANDONEÓN
  • Muito barulho por nada
  • Petistas acham que partido deve ter plano caso Lula não concorra ao Planalto
  • O desafio das ‘fake news’ nas eleições de 2018
  • Aviões turcos bombardeiam território curdo na Síria
  • STJ libera posse de Cristiane Brasil no Ministério do Trabalho