Quase metade das brasileiras já sofreu assédio sexual
Publicado por

Quase metade das brasileiras já sofreu assédio sexual

BRASIL

Pesquisa da Datafolha com mulheres a partir de 16 anos registra que as principais vítimas de conduta sexual inapropriada são as mais jovens, de nível educacional mais alto ou não brancas.

Negras os pardas são alvos mais frequentes de avanços sexuais indesejadosNegras os pardas são alvos mais frequentes de avanços sexuais indesejados

Pelo menos quatro entre cada dez brasileiras já foram vítimas de assédio sexual, segundo pesquisa divulgada neste sábado (23/12). De 1.427 entrevistadas pelo Instituto Datafolha, 42% afirmaram ter sido molestadas em algum momento. O problema afeta mais as mulheres de nível educacional mais alto.

Um terço das participantes da sondagem sofreu o assédio ao caminhar pela rua, outras foram molestadas nos transportes públicos (22%), no trabalho (15%), na escola ou universidade (10%), ou em casa (6%). A frequência da agressão sobe para 56% entre as jovens de 16 a 24 anos.

A percentagem de mulheres assediadas na rua é maior entre as que têm formação superior (44%) do que entre as que dispõem apenas de ensino básico (13%). Além disso, foram assediadas cerca de 45% das entrevistadas que se consideram negras ou pardas, contra 40% das brancas.

Para a pesquisa, que tem uma margem de erro de dois pontos, foram entrevistadas 1.427 brasileiras acima 16 anos ou mais, entre 29 e 30 de novembro.

Feministas exigem fim da impunidade

Nos últimos meses, várias mulheres denunciaram agressões sexuais em ônibus municipais de São Paulo, em que homens que ejacularam sobre elas. Diversos agressores foram libertados dias depois do ataque. O assunto gerou forte comoção no país e suscitou manifestações de setores feministas, que exigiram o fim da impunidade para atos obscenos.

Segundo um estudo publicado pela rede Globo, com dados da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, entre janeiro e julho de 2017, 457 mulheres foram violadas em locais públicos da capital paulista.

No Brasil, a legislação considera violação qualquer conduta com uso de ameaça ou violência que atente contra a dignidade e a liberdade sexual da vítima. Não é necessário que haja penetração para que seja constatado delito.

Fonte: Deutsche Welle

0 0 210 24 dezembro, 2017 Acontecimentos dezembro 24, 2017

Sobre o autor

CEO e Co-fundador da 2/1 Revista Eletrônica, Relações Corporativas, Ombudsman, atuou no Jornal O GLOBO (GRUPO GLOBO), Diário da Tarde (Diários Associados), Pohlig Heckel do Brasil (Grupo Belgo Mineira) e Diretor de Relações Públicas do Rotary Club

Ver todos os artigos por Jean Hausemer

Postagens relacionadas

Artigos recentes

  • Temer nega ter autorizado Rocha Loures a negociar em seu nome
    Temer nega ter autorizado Rocha Loures a negociar em seu nome
  • Moscou registra o mês mais escuro de sua história
  • Carro invade calçadão da praia de Copacabana e deixa feridos
  • Cotação do real em relação ao euro e ao dólar
  • Segurança em foco
  • Meliá lança campanha Super Sale com até 40% OFF em diversos destinos ao redor do mundo
  • Literatura para todos