PF quase dobra número de delegados que miram políticos na Lava Jato
Publicado por

PF quase dobra número de delegados que miram políticos na Lava Jato

BRASIL

Aumento de efetivo visa acelerar investigações e concluir mais de 270 inquéritos envolvendo políticos com foro privilegiado. Reforço é anunciado em meio a desconfianças em relação à troca feita por Temer na chefia da PF.

Distintivo da Polícia FederalNúmero de delegados em investigações da Lava Jato envolvendo políticos passa de nove para 17

A Polícia Federal (PF) quase dobrou nesta quinta-feira (04/01) o número de delegados responsáveis por investigações da Operação Lava Jato envolvendo políticos com foro privilegiado no Supremo Tribunal Federal (STF).

Leia mais: O ano em que a corrupção contra-atacou no Brasil

Com a decisão de aumentar o número de delegados de nove para 17, a Polícia Federal pretende acelerar as investigações para concluir os 273 inquéritos sobre políticos com foro privilegiado no STF. Destes casos, 124 são exclusivos da Lava Jato.

Segundo uma fonte ouvida pela agência de notícias Reuters, a decisão foi tomada em meio a desconfianças de que o presidente Michel Temer poderia usar a recente indicação de Fernando Segóvia, como diretor-geral da PF, para barrar a Lava Jato.

A escolha de Segóvia, candidato avaliado pela mídia brasileira como bem aceito no meio político, por Temer, no início de novembro, ocorreu menos de um mês após a segunda votação da Câmara que pôs fim à denúncia oferecida pela Procuradoria-Geral da República contra o presidente.

Após assumir o cargo, Segóvia chegou a minimizar o episódio envolvendo o ex-assessor de Temer Rodrigo Rocha Loures, que foi flagrado com uma mala com 500 mil reais. Segóvia também nomeou como número dois da PF um ex-candidato a deputado pelo PMDB e ainda trocou o delegado responsável por uma investigação que envolve o presidente e suspeitas de corrupção no Porto de Santos.

Em entrevista à TV Globo, o diretor de combate ao crime organizado da PF, Eugênio Ricas, afirmou que os delegados escolhidos devem começar o trabalho na Lava Jato até o fim do mês, em Brasília. Os trabalhos serão liderados por Josélio Azevedo de Souza, que é coordenador de combate à corrupção e ao crime organizado.

Fonte: Deutsche Welle 

0 0 110 05 janeiro, 2018 Fatos janeiro 5, 2018

Sobre o autor

CEO e Co-fundador da 2/1 Revista Eletrônica, Relações Corporativas, Ombudsman, atuou no Jornal O GLOBO (GRUPO GLOBO), Diário da Tarde (Diários Associados), Pohlig Heckel do Brasil (Grupo Belgo Mineira) e Diretor de Relações Públicas do Rotary Club

Ver todos os artigos por Jean Hausemer

Postagens relacionadas

Artigos recentes

  • 2/1 Revista Eletrônica
    2/1 Revista Eletrônica
  • VAC – CONTEMPORÂNEO APRESENTA: RUFO HERRERA E O BANDONEÓN
  • Muito barulho por nada
  • Petistas acham que partido deve ter plano caso Lula não concorra ao Planalto
  • O desafio das ‘fake news’ nas eleições de 2018
  • Aviões turcos bombardeiam território curdo na Síria
  • STJ libera posse de Cristiane Brasil no Ministério do Trabalho