Música, bate-papo e muito choro
Publicado por

Música, bate-papo e muito choro

Na semana em que se comemora o dia nacional do choro, o BDMG Cultural apresentará um bate-papo com o músico e professor Marcos Flávio de Aguiar Freitas e show com o quinteto do Clube do Choro de BH

 

No dia 23 de abril comemora-se o dia nacional do choro em todo país. Em Belo Horizonte, terra de chorões talentosos e consagrados, será realizada uma homenagem com bate-papo com o professor Marcos Flávio Aguiar Freitas e show com o grupo do Clube do Choro de Belo Horizonte, no dia 25 de abril, às 19h30, no Teatro da Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais. O acesso é gratuito.

Professor e mestre em música e performance pela UFMG, o trombonista Marcos Flávio vai apresentar ao público a sua tese de doutorado, “O estilo de Zé da Velha no CD Só Gafieira – Práticas de Performance e Trombone no Choro”. Marcos, que é coordenador do grupo de choro do Clube do Choro de Belo Horizonte, também participará de uma roda de choro, com os músicos Frederico Lazzarini (pandeiro), Hélio Pereira (bandolim), Geraldo Magela (violão de sete cordas) e Cícero Gonzaga (acordeon).

A tese foi apresentada no ano passado na UFMG e aborda a singularidade do trombonista José Alberto Rodrigues Matos, o Zé da Velha, um dos maiores solistas de choro do país. O músico tocou ao lado de grandes nomes, como Jacob do Bandolim, Beth Carvalho, Martinho da Vila, Luiz Melodia, entre outros.

Conheça mais sobre Marcos Flávio de Aguiar Freitas

Membro da Internacional Trombone Association (ITA), da Associação Brasileira de Trombonistas (ABT) e do Clube do Choro de Belo Horizonte, Marcos Flávio é, atualmente, artista da YAMAHA. Participa dos grupos Jazz Mineiro Orquestra, Flor de Abacate, Happy Feet Jazz Big Band, Zé da Guiomar e Copo Lagoinha. Já se apresentou no Clube do Choro de Paris, em Buenos Aires, Madri, Montevidéu, São Paulo, entre outros.

Como solista e músico convidado, marcou presença nas Filarmônicas de Minas Gerais e do Espírito Santo e em diversas orquestras pelo país. Marcos Flávio já se apresentou no Clube do Choro de Paris, em Buenos Aires, Madri, Montevidéu, São Paulo, entre outras cidades. Dividiu palco com Frank Sinatra Jr., Jeff Rupert, Rosa Passos, Gal Costa, Ivan Lins, Zé da Velha, Hamilton de Holanda, Dudu Braga, e com outros grandes nomes da música nacional e internacional.

Saiba mais sobre o Clube do Choro de Belo Horizonte

O Clube do Choro de Belo Horizonte surgiu informalmente de reuniões às quintas-feiras no Bar do Bolão, no bairro Padre Eustáquio. Músicos, amadores e profissionais, se encontram desde 1993, no mesmo local, em rodas de choro abertas ao público que aprecia boa música e bate-papo.

Fundado oficialmente em 2006, o Clube do Choro de BH tem manutenção realizada a partir das contribuições mensais do seu quadro de associados que, atualmente, conta com 105 pessoas.

Serviço

Bate-papo com Marcos Flávio de Aguiar Freitas e show com o grupo do Clube do Choro de Belo Horizonte

Dia 25 de abril, às 19h30

Teatro da Biblioteca Pública Estadual de Mina Gerais (Praça da Liberdade, 21)

Acesso gratuito

Classificação livre

Mais informações: 31 3219-8691

LUIZA SERRANO
Assessora de Comunicação
Tel: (31) 3219-8691 Cel: (31) 99313-5508
www.bdmgcultural.mg.gov.br

0 0 560 21 abril, 2018 Agenda Cultural, Eventos/Moda abril 21, 2018

Sobre o autor

CEO e Fundador da 2/1 Revista Eletrônica, Relações Corporativas, Ombudsman, atuou no Jornal O GLOBO (GRUPO GLOBO), Diário da Tarde (Diários Associados), Diário do Comércio, Pohlig Heckel do Brasil (Grupo Belgo Mineira) e Diretor de Relações Públicas do Rotary Club.

Ver todos os artigos por Jean Hausemer

Postagens relacionadas

Artigos recentes

  • MORARMAIS BH18 IMPERDÍVEL
    MORARMAIS BH18 IMPERDÍVEL
  • 21/8 – próxima terça – Nilton Bonder no Sempre Um Papo
  • Merkel e Putin visam novo molde para solução síria
  • Irã anuncia nova arma “contra EUA e Israel”
  • Após conflito, 1.200 venezuelanos deixam Roraima
  • CONDOMÍNIOS CORREM RISCO DE TEREM PREJUÍZOS EXPRESSIVOS  COM INCÊNDIO E VÍCIOS DE CONSTRUÇÃO
  • Cuidado. Seu voto pode custar caro