Eleição de 2018 como em MG em 1965 ?
Publicado por

Eleição de 2018 como em MG em 1965 ?

Muita gente pensando e com vontade que possa acontecer em 2018 o que aconteceu em 1965.

Pelo menos no PT.

Vou contar o que foi:

Magalhães Pinto era governador e já em plena revolução de 64 haveria eleições em 65 para govenador.

O candidato do PSD era Sebastião Paes de Almeida, o Tião Medonho como era chamado pela UDN.

Ex-ministro da Fazenda de JK, dizem que era favoritíssimo para ganhar a eleição de 1965 para o governo de Minas Gerais.

Magalhães governador e líder da Revolução, em pleno período que começa as cassações de políticos, pede a cabeça de Tião Medonho. Fato ocorrido há exatos 20 dias da eleição que aconteceria dia 03/10/1965.

O candidato de Magalhães era o médico e ex-secretário de saúde Roberto Resende.

Com a cassação de Tião medonho o PSD faz convenção extraordinária e indica Israel Pinheiro, administrador de Brasília até o governo Jânio Quadros. Israel volta a política e em 20 dias de campanha derrota o candidato udenista.

Candidato Israel Pinheiro Roberto Resende
Partido PSD UDN
Natural de CaetéMG Não disponível
Vice Pio Canedo Lúcio de Souza Cruz
Votos 937.555 793.409
Porcentagem 53,21% 45,03%

Dizem, que a revolta com a cassação de Tião Medonho fez a eleição virar contra Magalhães.

Uma curiosidade: Meu pai, então deputado estadual, disputou a indicação de vice-governador contra Pio Canedo e perdeu por poucos votos. Isso lhe abriu uma ferida no velho PSD e pagou caro em muitas ocasiões pela sua rebeldia.

Pois bem, onde quero chegar?

Lula como candidato sub-judice, assim querem os petistas, vai esticar a corda até onde puder. Fazer campanha se possível. Na confirmação da nulidade de sua candidatura (porque é ficha suja e criminoso condenado) ele lançará ou apoiará um candidato com a intenção de herdar os seus votos, principalmente no Nordeste onde tem 55% de intenção segundo as pesquisas.

Quem poderia ser o candidato? Vou dizer uma aqui: Nelson Jobim, mas pode ser outro. Já existe um movimento neste sentido. Ele agradaria o centro e poderia faturar muito votos de Lula. A esquerda radical não, mas parte dela sim porque tem bom transito. Ex-ministro de FHC e Lula e ex-presidente do STF, tem currículo de sobra. Se não me engano, ele é filiado ao MDB, que tem Meirelles como pré-candidato, mas seria vice facilmente em uma composição.

Não gosto de citar Marx, mas vai lá: A história se repete, a primeira vez como tragédia e a segunda como farsa.  Karl Marx

Na Bahia um acidente de helicóptero matou o candidato de ACM há uma semana da eleição de governador em 1982.

Clériston Andrade Morreu em um acidente de helicóptero durante a sua campanha ao governo da Bahia, em 1 de outubro de 1982. O governador Antônio Carlos Magalhães escolheu o nome de João Durval Carneiro para sucedê-lo e ganhou a eleição.

A história se repete pela primeira vez.

Uma coisa é certa, Lula não será candidato, nem poderia ser diplomado se conseguisse atropelar a justiça e empurrar com a barriga. Ele sabe disso.

Quer influenciar com certeza e a promessa de um Indulto deve ser tudo que está pleiteando neste momento. Tem cacife sim, esdruxulamente, ainda tem gente que não vê que ele é condenado e não pode ser candidato ou mesmo diplomado se fosse eleito.

Vou deixar aqui registrado aqui. Sinto no ar este movimento e política as vezes é percepção. Certo ou errado? Não sei dizer, mas percebo isso.

Na democracia pode muita coisa, mas nunca um bandido ser candidato influenciar ele pode.

Vamos aguardar e ver o que se dará pela frente. Ainda faltam 4 meses, mas a cada dia a realidade começa a ficar mais clara.

Ainda totalmente imprevisível esta eleição, como em 1989, tudo pode acontecer. Espero que seja para o bem do Brasil.

 

Murilo Prado Badaró – Economista, ambientalista e empresário no setor elétrico. Graduou-se em Economia e Gestão Ambiental, é o escritor do livro “A Revelação”, sobre história política nos anos 50 e escreve artigos relacionados a economia, política, meio ambiente e tecnologia para jornais,revistas e sites.

Colunista / Colaborador da 2/1 Revista Eletrônica e 2POR1 Informações Culturais

0 0 390 19 junho, 2018 Cultura Organizacional junho 19, 2018

Sobre o autor

CEO e Fundador da 2/1 Revista Eletrônica, Relações Corporativas, Ombudsman, atuou no Jornal O GLOBO (GRUPO GLOBO), Diário da Tarde (Diários Associados), Diário do Comércio, Pohlig Heckel do Brasil (Grupo Belgo Mineira) e Diretor de Relações Públicas do Rotary Club.

Ver todos os artigos por Jean Hausemer

Postagens relacionadas

Artigos recentes

  • A morte do sandinismo histórico
    A morte do sandinismo histórico
  • A inflexibilidade alemã
  • VAMP O MUSICAL – COM CLAUDIA OHANA E NEY LATORRACA NO ELENCO
  • Riviera lança álbum “Aquário” no Cine Theatro Brasil Vallourec
  • Inscrições abertas para o curso técnico em enfermagem da Escola Técnica Santa Casa BH
  • Retrato desenhado a mais de 198 anos, por Jean Antoine Felix Dissandes de Monlevade.
  • Arthur Melo faz show de pré lançamento do seu novo disco em BH