Violões ditam o ritmo em BH no mês de novembro
Publicado por

Violões ditam o ritmo em BH no mês de novembro

Festival Internacional de Violão – FIV comemora a sua 9ª edição na capital mineira

Nos dias 10 e 11 de novembro, Belo Horizonte vai sediar mais uma edição do Festival Internacional de Violão – FIV. O Teatro Bradesco será palco para o encontro de mestres violonistas, consagrados no país e exterior. O Festival é uma realização dos músicos Aliéksey Vianna, Juarez Moreira e Fernando Araújo, com patrocínio do Instituto Unimed-BH, por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Belo Horizonte – Fundação Municipal de Cultura.

Na sexta-feira, 10, subirão ao palco ícones do violão, o montenegrino Goran Krivokapić e o paulista André Geraissati. No dia 11, dividem a noite musical o duo formado por Fernando Araújo e Celso Faria, com um repertório de obras de um dos maiores compositores brasileiros do século XX, Francisco Mignone. Manuscritos de Buenos Aires – Obras Inéditas de Francisco Mignone contêm obras para duo de violões escritas em agosto de 1970 e dedicadas ao casal de violonistas argentinos Graciela Pomponio e Jorge Martínez Zárate. As peças eram desconhecidas pela comunidade musical e acadêmica no Brasil até o mergulho de Fernando nos manuscritos do músico paulista para a sua tese de doutorado.

Ainda no sábado, Anat Cohen e Marcello Gonçalves recriam as “coisas” de Moacir Santos, no show Outra Coisa: a música de Moacir Santos. A clarinetista israelense e o violonista brasileiro reforçam o legado musical do compositor com toques pessoais nesta rara mistura.

Idealizado pelos violonistas Aliéksey Vianna, Fernando Araújo e Juarez Moreira, desde 2005, o Festival reúne em Belo Horizonte violonistas de diversos países e de várias gerações, além de ícones do violão e da música popular no Brasil. Com foco principal no violão, o FIV apresenta o melhor do que é produzido no país e no exterior, com equilíbrio entre as diversas manifestações populares e eruditas.

Programação do Festival Internacional de Violão – FIV

Sexta-feira, 10 de novembro – 21h

– Goran Krivokapić

– André Geraissati

Sábado, 11 de novembro – 21h

– Fernando Araújo e Celso Faria (Manuscritos de Buenos Aires)

– Anat Cohen e Marcello Gonçalves

Local: Teatro Bradesco | Centro Cultural Minas Tênis Clube – Rua da Bahia, 2244 – Lourdes

Classificação etária: Livre

Ingressos: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia)

*Funcionamento da Bilheteria: Segunda a Sábado de 12h às 21h e Domingo de 12h às 19h. Telefone: 3516-1360

Assessoria de imprensa – Beth Santos – 31 99123 8000 – gentileza não divulgar o número

 

Conheça mais sobre os músicos participantes:

– Goran Krivokapić

O sérvio Goran Krivokapić é um dos principais músicos do cenário internacional de violonistas. Venceu duas das mais prestigiadas competições de violão, “Guitar Foundation of America”, no Canadá, e “Dr. Luis Sigall International Competition of Musical Performance”, no Chile. O músico toca por toda a Europa, América do Norte e do Sul, Ásia, África e Rússia. Como performer, palestrante e júri, Goran Krivokapić é convidado para festivais em todo o mundo. Seu foco musical está no desenvolvimento de novos trabalhos para violão clássico, principalmente por meio das suas próprias transcrições dos trabalhos clássicos e barrocos, além da colaboração com compositores contemporâneos. Goran atua no projeto “Rhapsody in School”, uma iniciativa de Lars Vogt para trazer novamente a música clássica para a sala de aula. Como músico de câmara, o violonista faz parte do Montenegrin Guitar Duo. Atualmente, o mestre pelo Conservatorium Mastrcht, na Holanda, trabalha no desenvolvimento do seu PHD, sob orientação de Raphaella Smits e Carl Van Eyndhoven, na Luca School of Arts, na Bélgica.

– André Geraissati

Envolvido com a música desde os anos 60, André Geraissati surgiu para o grande público no final da década de 70, com o grupo D’Alma, tocando nos principais festivais internacionais de jazz. Ao lado de Egberto Gismonti, realizou turnês pelo país, “Fantasia” e “Cidade Coração”. Em 1988, participou da Hot Night do Festival de Jazz de Montreaux e em 1990 gravou o CD Brazilian Image, ao lado do flautista Paul Horn, que concorreu ao Grammy na categoria Jazz. De 1992 a 1998, André reuniu para uma série de concertos e gravações artistas envolvidos com a música instrumental brasileira, no projeto Tom Brasil/Banco do Brasil Musical. Foram realizados centenas de concertos e apresentações. Além de instrumentista, Geraissati também atua como produtor e diretor musical.

– Fernando Araújo e Celso Faria

O belo-horizontino Fernando Araújo é bacharel e doutor em música pela Escola de Música da UFMG, e mestre em música pela Mahattan School of Music de Nova York. O violonista já se apresentou em diversas cidades dos Estados Unidos, Europa e Brasil. Atuou como solista em orquestras, entre elas, a Orquestra Sinfônica de Minas Gerais e a Municipal de Campinas. Recentemente, lançou com a cantora Mônica Pedrosa o CD Canções da Terra, Canções do Mar, no qual o duo interpreta arranjos autorais de compositores eruditos brasileiros. Fernando é professor da Escola de Música da UFMG e se dedica à criação e coordenação de eventos.

Celso Faria nasceu em Passos, Minas Gerais, e iniciou seus estudos musicais de maneira autodidata, aos 10 anos. Em 1994, ingressou no Curso de Formação Musical da Escola de Música da UFMG, na classe do professor José Lucena Vaz. É especialista em Música Brasileira – Práticas Interpretativas, pela UEMG, e mestre em performance musical pela UFMG. O violonista também foi aluno de Beto Davezac, na Fundação de Educação Artística (FEA) e de Norton Morozowicz, na Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ).

Juntos, a dupla apresenta Os Manuscritos de Buenos Aires, obras recém-descobertas de Francisco Mignone. As obras do compositor, pianista, regente, professor e flautista paulista, um dos maiores compositores brasileiros do século XX, chegam ao público por meio da defesa da tese de doutorado do violonista Fernando Araújo. Os manuscritos contêm obras para duo de violões escritas em agosto de 1970 e dedicadas ao scasal de violonistas argentinos Graciela Pomponio e Jorge Martínez Zárate, do duo Pomponio-Zárate. As peças eram desconhecidas pela comunidade musical e acadêmica brasileiras, ausentes nos catálogos e literatura dedicados à obra de Mignone.

– Anat Cohen e Marcello Gonçalves

Show ” Outra Coisa – A música de Moacir Santos” de Anat Cohen e Marcello Gonçalves dentro da programação do Domingo No Museu da Veredas Produções no Museu de Arte da Pampulha (MAP). Belo Horizonte MG. 27/11/2016. © Copyright Élcio Paraíso/Bendita – Conteúdo & Imagem | Todos os direitos reservados | All rights reserved

Moacir Santos deixou aos 80 anos um legado musical para a nova geração de todo o país. Seu primeiro disco, Coisas, foi lançado em 1965. Quase cinco décadas depois, os virtuosos Anat Cohen e Marcello Gonçalves se encontraram para homenagear o músico.

 

Com experiência em trabalhos musicais que envolvem uma dose de saudosismo, a clarinetista e saxofonista Anat Cohen, e o violonista 7 cordas Marcello Gonçalves, apresentam com toques pessoais as melodias compostas pelo consagrado Moacir Santos. Anat coloca sua brasilidade no legado musical do saudoso compositor, enquanto Marcello interpreta os arranjos desta rara e inédita mistura.

 

Anat Cohen foi eleita clarinetista do ano por nove edições consecutivas da Jazz JournalistsAssociation. Viajou pelo mundo em festivais como o de Newport, Umbria Jazz, SF Jazz e North Sea. Em seus shows, a clarinetista e saxofonista deixa a mostra sua fluência entre o estilo crioulo de Nova Orleans, os ritmos africanos, o samba e o choro do Brasil.

 

A artista nasceu em TelAviv, Israel, e foi criada por uma família musical. Realizou turnês com a Diva Jazz Orchesta e fez parte de grupos brasileiros, como o choro Ensemble e o Duduka Da Fonseca’s Samba Jazz Quintet. Seu disco solo mais recente foi lançado em 2015 pelo seu próprio selo Anzic Records.

 

O brasileiro Marcello Gonçalves é considerado um dos melhores violonistas de 7 cordas do país. Ele une a espontaneidade e malícia da música popular com a sonoridade e o acabamento da música clássica. O músico integra os premiados Trio Madeira Brasil, Rabo de Lagartixa e duo com cavaquinista Henrique Cazes. Participou da gravação de CDs e DVDs de Ney Matogrosso e fez a direção musical do longa-metragem “Brasileirinho”, em 2005.

 

Programação do Festival Internacional de Violão – FIV

Sexta-feira, 10 de novembro – 21h

– Goran Krivokapić

– André Geraissati

Sábado, 11 de novembro – 21h

– Fernando Araújo e Celso Faria (Manuscritos de Buenos Aires)

– Anat Cohen e Marcello Gonçalves

Local: Teatro Bradesco | Centro Cultural Minas Tênis Clube – Rua da Bahia, 2244 – Lourdes

Classificação etária: Livre

Ingressos: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia)

*Funcionamento da Bilheteria: Segunda a Sábado de 12h às 21h e Domingo de 12h às 19h. Telefone: 3516-1360

Assessoria de imprensa – Beth Santos

0 0 1520 24 outubro, 2017 Agenda Cultural outubro 24, 2017

Sobre o autor

CEO e Fundador da 2/1 Revista Eletrônica, Relações Corporativas, Ombudsman, atuou no Jornal O GLOBO (GRUPO GLOBO), Diário da Tarde (Diários Associados), Diário do Comércio, Pohlig Heckel do Brasil (Grupo Belgo Mineira) e Diretor de Relações Públicas do Rotary Club.

Ver todos os artigos por Jean Hausemer

Postagens relacionadas

Artigos recentes

  • VENDE-SE DOIS LOTES DE TERRAS – MUNICÍPIO DE BORBA – ESTADO DO AMAZONAS – BRASIL / BRAZIL
    VENDE-SE DOIS LOTES DE TERRAS – MUNICÍPIO DE BORBA – ESTADO DO AMAZONAS – BRASIL / BRAZIL
  • Cem anos de Ingmar Bergman, ícone do cinema
  • Cair para levantar
  • Israel e Hamas fecham cessar-fogo após onda de bombardeios
  • Meninos tailandeses agradecem por terem sido salvos
  • Brasileiro conquista ouro na Olimpíada Internacional de Matemática
  • Eventos climáticos extremos devem ser cada vez mais fatais