Venezuela enfrenta hiperinflação, diz oposição
Publicado por

Venezuela enfrenta hiperinflação, diz oposição

Economia

Em dez meses, inflação acumulada no país chegou a 825,7%. Análise é divulgada pela Assembleia Nacional, dominada por opositores. Governo Maduro parou de publicar dados econômicos há mais de um ano.

Caixa de supermercado em Caracas recebe pagamento de cliente Além de explosão nos preços, país enfrenta escassez de produtos

A Assembleia Nacional da Venezuela, dominada pela oposição, anunciou nesta terça-feira (07/11) que a inflação acumulada no país entre janeiro e outubro deste ano chegou a 825,7%. O parlamento venezuelano condenou ainda a política econômica do governo de Nicolás Maduro.

De acordo com os dados divulgados pela oposição, a Venezuela enfrenta hiperinflação. As previsões apontam que a inflação acumulada para o ano de 2017 pode passar de 1.400%.

“A economia venezuelana já entrou, formalmente, num processo de hiperinflação. Isto é dramático. É um grande problema para o povo venezuelano”, disse o deputado Ángel Alvarado, na abertura da sessão.

100 mil bolívares (ou 2 dólares): Maduro apresenta maior cédula da história do país

Segundo Alvarado, o Banco Central venezuelano segue “uma política de ocultação”, pois há meses não publica o índice oficial de inflação.

O deputado alertou ainda que se a tendência foi mantida, a inflação no país pode chegar a 12.000% em 2018.

Há mais de um ano o governo parou de publicar dados sobre a inflação no país. Desde janeiro, a Assembleia Nacional vem divulgado suas próprias estatísticas, que são semelhantes as apresentadas por economistas independentes.

Durante os meses de julho, agosto e setembro, a inflação mensal registrada na Venezuela foi de 26 %, 33,7 % e 36,3 %, respectivamente. Em outubro, ela chegou a 45,5%.

A oposição acusa os governos de Maduro e de seu antecessor Hugo Chavez de terem destruído a economia do país com políticas socialistas de nacionalizações e controle cambial. Já o governo afirma ser vítima de uma “guerra econômica” e culpa empresários e opositores pela crise que o país atravessa.

Abalada pela queda dos preços do petróleo, a Venezuela enfrenta uma profunda crise econômica – caracterizada por uma recessão econômica, inflação e escassez de bens básicos.

A economia do país vem encolhendo de forma extrema, tendo diminuindo 36% nos últimos quatro anos, de acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI). A produção de recursos primários, como o petróleo, também está em declínio por causa da falta de investimentos em infraestrutura.

Fonte:Deutsche Welle

0 0 660 08 novembro, 2017 Acontecimentos novembro 8, 2017

Sobre o autor

CEO e Fundador da 2/1 Revista Eletrônica, Relações Corporativas, Ombudsman, atuou no Jornal O GLOBO (GRUPO GLOBO), Diário da Tarde (Diários Associados), Diário do Comércio, Pohlig Heckel do Brasil (Grupo Belgo Mineira) e Diretor de Relações Públicas do Rotary Club.

Ver todos os artigos por Jean Hausemer

Postagens relacionadas

Artigos recentes

  • VENDE-SE DOIS LOTES DE TERRAS – MUNICÍPIO DE BORBA – ESTADO DO AMAZONAS
    VENDE-SE DOIS LOTES DE TERRAS – MUNICÍPIO DE BORBA – ESTADO DO AMAZONAS
  • Porsche é alvo de operação policial na Alemanha
  • Arábia Saudita inaugura cinema após mais de 35 anos de proibição
  • Irã anuncia que vai produzir ou comprar qualquer arma que precisar
  • Coladera inicia temporada dos shows no Brasil de seu novo disco, La Dôtu Lado
  • MINISTÉRIO DA CULTURA E BRADESCO SEGUROS APRESENTAM “CINDERELLA, O MUSICAL”
  • Loja colaborativa e aceleradora de pequenos empreendimentos locais, Mooca, lança marketplace online