Semreceita apresenta novo disco neste sábado, em show gratuito pelo projeto Dia de Feira
Publicado por

Semreceita apresenta novo disco neste sábado, em show gratuito pelo projeto Dia de Feira

Banda instrumental mineira mostra as músicas de seu primeiro e recém-lançado álbum; a apresentação gratuita acontece neste sábado (2/9), às 11h, na Praça da Saúde, no bairro Grajaú

“Pensar, cuidar, pôr um penso. E sem receita”. Batizado pelo nome do livro de José Miguel Wisnik, o Semreceita aposta na potência instrumental e na espontaneidade da performance ao vivo, passeando por ambientes sonoros que vão do jazz ao carimbó, do blues ao samba, do rock ao baião, entre outras linguagens e influências. Essa é a toada do primeiro e recém-lançado disco da banda instrumental mineira, que será apresentado neste sábado (2/9), às 11h, na Praça da Saúde, no bairro Grajaú. O show, que é gratuito, acontece pelo projeto Dia de Feira, que apoia eventos tradicionais da capital mineira, como a Feira de Arte e Artesanato da Silva Lobo. A feira acontece das 9h às 16h e, além do Semreceita, contará com o show da cantora e compositora Flávia Ellen, às 10h.

Formado por músicos tarimbados da cena musical independente de Belo Horizonte, o grupo vai executar as músicas de seu primeiro disco de inéditas. Além da versão de “Meia Lua Inteira” (música de Carlinhos Brown, conhecida na voz de Caetano Veloso), o disco homônimo traz composições de Harrison Santos (sax tenor), PC Guimarães (guitarra), Rodrigo “Boi” Magalhães (baixo) e Rodrigo “Picolé” Heringer (co-fundador e ex-vibrafonista da banda), além de uma parceria de PC com o saxofonista Vinícius Mendes e de uma criação conjunta de Harrison, PC, Picolé, Boi e Feijão. “São nove faixas e uma vinheta. Tem baião, boi, maracatu, serra abaixo, samba, choro, rock, jazz contemporâneo, carimbó, guitarrada, frevo e uma mistura de tudo isso com outros elemento”, conta o baterista Fernando “Feijão” Monteiro. “Cada música tem uma história específica, mas geralmente trabalhamos com a forma escrita, então a parte composicional é feita em casa e nos ensaios juntamos para tocar e lapidar os arranjos”, explica.

O disco celebra a vocação popular da banda, que levou o título de melhor arranjo no concurso BDMG Instrumental deste ano, com a versão inspirada de “O Bêbado e a Equilibrista” (Aldir Blanc e João Bosco). “Existe um mito de que a música instrumental é ‘sofisticada’, ‘para poucos’, ‘para entendidos’. Temos a intenção de quebrar esse caráter elitista. A realidade das culturas afro-brasileiras e afro-americanas que nos influenciam é popular”, defende o baterista. “Ao vivo, acreditamos que a música instrumental pode ser ainda mais cativante, pela surpresa da espontaneidade e pela mágica musical que é capaz de nos levar para um âmbito imaginário e reflexivo, acessível a todos”, completa.

Gravado no Fazenda das Macieiras, estúdio de Alexandre Andrés em Entre Rios de Minas, o álbum tem produção de Antonio Loureiro – dois importantes nomes da cena instrumental mineira. “Ficamos imersos no processo durante seis dias, gravando ao vivo. A experiência de amizade e entrega à música foi inesquecível. Depois da gravação, o Antonio encaminhou o som para o Bruno Corrêa, que mixou lindamente o disco, masterizado pelo Kiko Klauss. A parte gráfica ficou por conta do Tiago Eiras, que flerta com a ideia lúdica e subjetiva que temos do som”, sublinha Feijão.

Semreceita

O Semreceita surgiu na Escola de Música da UFMG, em 2012, quando os colegas Fernando Monteiro e Rodrigo Heringer, que se apresentavam juntos em uma disciplina, decidiram montar um grupo. Convidaram Harrison Santos para o sax tenor e Expedito Andrade para guitarra. Depois da experiência, decidiram continuar a jornada e assumiram o Semreceita, inspirados por Wisknik. Em 2014, PC Guimarães entrou no lugar de Expedito e, em 2016, Natália Mitre assumiu o vibrafone, com a saída de Picolé. Além do prêmio de melhor arranjo pelo “BDMG Instumental” em 2017, o Semreceita ganhou o concurso “Novos Talentos do Jazz”, em 2014, e foi um dos selecionados para Palco UFMG de 2012, ambos dentro da programação do Savassi Festival. A banda, que já tocou com o saxofonista Mário Sève, também integrou a programação da Virada Cultural de 2015 e de diversos projetos da Escola de Música da UFMG, como “Prata da Casa”, “Quarta Cultural” e “VivaMúsica”.

O Semreceita é: Natália Mitre (vibrafone), PC Guimarães (guitarra), Fernando “Feijão” Monteiro (bateria), Rodrigo “Boi” Magalhães (baixo) e Harrison Santos (sax tenor).

Dia de Feira

Visando evidenciar o aspecto peculiar do nosso modo de viver e a importância das feiras na dinâmica da cidade, nasceu, em 2016, o “Dia de Feira”. Apresentado pelo Instituto Unimed BH e realizado pela Altiplano, o projeto busca valorizar as feiras não só como espaços de trocas comerciais, importantes para geração de renda e sustentabilidade de milhares de famílias, mas também como espaços de trocas simbólicas e culturais, de encontro, de convivência e de urbanidade em seu sentido pleno. Assim, o “Dia de Feira” fortalece feiras da cidade levando para estes espaços um palco com atrações que valorizam a produção local. Para saber mais, acesse www.diadefeira.online.

SERVIÇO

Semreceita apresenta novo disco álbum no Dia de Feira
Quando. Sábado (2/9), às 11h. A Feira de Arte e Artesanato da Silva Lobo vai de 9h às 16h
Onde. Praça da Saúde (Avenida Silva Lobo, S/N, Grajaú)
Quanto. Entrada franca

Informações para a imprensa:
Lucas Buzatti
(31)99584-6364
comunicacaofloriano@gmail.com

A imagem pode conter: oceano, céu, nuvem, atividades ao ar livre, água e texto
A imagem pode conter: 4 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé, nuvem e atividades ao ar livre
0 0 1140 30 agosto, 2017 Agenda Cultural agosto 30, 2017

Sobre o autor

CEO e Fundador da 2/1 Revista Eletrônica, Relações Corporativas, Ombudsman, atuou no Jornal O GLOBO (GRUPO GLOBO), Diário da Tarde (Diários Associados), Diário do Comércio, Pohlig Heckel do Brasil (Grupo Belgo Mineira) e Diretor de Relações Públicas do Rotary Club.

Ver todos os artigos por Jean Hausemer

Postagens relacionadas

Artigos recentes

  • A morte do sandinismo histórico
    A morte do sandinismo histórico
  • A inflexibilidade alemã
  • VAMP O MUSICAL – COM CLAUDIA OHANA E NEY LATORRACA NO ELENCO
  • Riviera lança álbum “Aquário” no Cine Theatro Brasil Vallourec
  • Inscrições abertas para o curso técnico em enfermagem da Escola Técnica Santa Casa BH
  • Retrato desenhado a mais de 198 anos, por Jean Antoine Felix Dissandes de Monlevade.
  • Arthur Melo faz show de pré lançamento do seu novo disco em BH