LISLIE FIORINNI LANÇA SEU PRIMEIRO ÁLBUM
Publicado por

LISLIE FIORINNI LANÇA SEU PRIMEIRO ÁLBUM

Com direção musical do violonista e maestro Gilvan de Oliveira, o disco homônimo Lislie Fiorinni será lançado na quinta-feira (23) exaltando a diversidade da música brasileira

Mesclando influências da MPB, samba, bossa nova e músicas regionais, o primeiro álbum da cantora e compositora novalimense, Lislie Fiorinni, contém dez faixas sendo oito composições autorais e duas releituras. O disco “Lislie Fiorinni” tem direção musical do violonista e maestro Gilvan de Oliveira, além de participações de músicos como Ivan Corrêia, Serginho Silva e Célio Balona. O show de lançamento do CD será no dia 23/11, quinta-feira, às 20h no Teatro João Ceschiatti, com ingressos a R$10 (inteira).

O álbum é o resultado da trajetória de Lislie Fiorinni como cantora e compositora e as canções escolhidas para o repertório refletem um pouco dessa caminhada. Bisneta do seresteiro Natalino de Oliveira, componente do grupo de seresta Ferro Velho e neta de Waldemar Custódio, criador do primeiro grupo de teatro de Nova Lima e da organização “Só Arte”, Lislie se destaca pela potência vocal e o seu conhecimento musical. Compondo desde os 16 anos, Lislie realizou seu projeto de gravação de CD com recursos das Lei Estadual de Incentivo à Cultura.

“Mar de Minas”, é a primeira composição de Lislie que posteriormente inspirou um show e é uma das faixas do CD; assim como as canções “Amarela” (com a qual Lislie participou do Projeto Vozes do Morro 2009), “Tudo Isso” (ganhadora de vários prêmios) além de composições mais recentes, como “Amor de Terra, Amor de Mar” (fruto da parceria com o cantor e compositor Alysson Salvador). A canção “Na Praça” também é resultado de trabalho conjunto, de Lislie Fiorinni e Mayke Campos. Composta em 2009 e gravada pela primeira vez neste álbum, a canção homenageia a cidade de Belo Horizonte.

Sobre Lislie Fiorinni

Nascida em Nova Lima, Lislie Fiorinni herdou da família a paixão pela arte. Sua carreira de intérprete teve início ainda aos 11 anos, quando ganhou seu primeiro concurso. Hoje, formada em Canto Lírico pelo CEFART – Palácio das Artes (2007) e pela Bituca Universidade de Música Popular, Lislie coleciona prêmios e importantes apresentações. Em 2008, como vocalista principal do Grupo Catir&papo, realizou o projeto intitulado Mar de Minas, que passeou por várias facetas da Música Mineira, desde Clube da Esquina a estilos tradicionais como o Congado. Em 2009 participou do Programa Vozes do Morro, sendo uma das ganhadoras com a dupla Encontro Vocálico.

Também em 2009, a cantora estreou o show “Estampa do Brasil é Samba”, idealizado por ela e realizado no Teatro Municipal Manoel Franzen de Lima, em Nova Lima. Em 2010, a cantora participou do Festival “Festibar”, idealizado por Mauro Sater, com a canção autoral “Tudo Isso” e foi contemplada com o 1º Lugar de Melhor Música. A cantora também recebeu os prêmios de Melhor Intérprete e Escolha do Público. Seguindo a vertente do Jazz, estilo pelo qual se apaixonou, Lislie fez parte da banda BH Gypsy Jazz como vocalista entre os anos de 2013 e 2016.

Em 2016, já com um trabalho autoral mais estruturado, Lislie se apresentou na Segunda Mostra Mulheres Criando, realizada pelo Coletivo Mulheres Criando no Espaço Suricato. Na ocasião, a cantora teve, pela primeira vez, a chance de realizar um show inteiramente autoral e apresentar para o público suas composições.

Faixa a faixa

Flor de Capim (Lislie Fiorinni) – Uma canção alegre, em ritmo de baião toada, que fala da simplicidade da vida e canta o amor como uma escolha. De melodia delicada e ritmo gostoso, essa canção dançante com um “quê” de Minas Gerais abre o disco.

Confissão Malandra (Lislie Fiorinni) – A segunda música do CD é um samba bem humorado, no qual o eu lírico, um malandro assumido, explica a seu ex-amor sobre suas fragilidades e sobre o porque da escolha pela boemia.

Espumas ao Vento (Accioly Neto) – Numa interpretação doce e emocionada, essa canção já tão consagrada ganha nuances de nostalgia e sofisticação na voz da cantora.

Mar de Minas (Lislie Fiorinni) – Primeira canção autoral da cantora, Mar de Minas foi inspirada na paisagem de Nova Lima ao amanhecer: toda coberta por uma neblina espessa, que bloqueia o sol e, em meio às serras, lembra a visão do mar. Na letra, muitos regionalismos de linguagem e uma poesia simples, inspirada no jeito que a bisavó da cantora costumava falar e contar seus “causos”.

Eu Desabo (Lislie Fiorinni) – Samba com influência clara do ritmo das gafieiras, “Eu Desabo” conta a história do fim de um amor no qual a mulher toma o papel de protagonista, decidindo terminar a relação. Com bastante energia e força, a letra mostra as reviravoltas do pensamento dessa mulher e evidencia sua indignação, relacionando-se, de forma indireta, com esse tema tão atual que outros estilos musicais vem também evidenciando.

Tudo Isso (Lislie Fiorinni) – Narrada após o fim de uma relação, essa canção trata do momento em que uma pessoa decide esquecer um alguém e assim, mostra o doloroso processo de retirar esse alguém da sua vida. Fotos rasgadas, flores cortadas e sonhos que precisam ser abandonados são tema dessa balada delicada e emocionante, vencedora de todos os prêmios do Festibar 2010.

Amarela (Lislie Fiorinni) – Música vencedora do Vozes do Morro 2009, “Amarela” é um samba canção leve que canta o momento da “volta por cima” após uma decepção amorosa. Com uma letra bem imagética e cheia de figuras fortes, a casa velha é metáfora para a pessoa que desistiu do amor, e cada pequena ação para limpar e reconstruir essa casa consiste, na verdade, na busca por acreditar no amor outra vez.

Amor de Terra, Amor de Mar (Lislie Fiorinni e Alysson Salvador) – Composição mais recente do disco, essa canção trata da importância e, portanto, da dificuldade de se fazer escolhas na vida. O pescador João representa todo e qualquer indivíduo que se vê diante da necessidade de decidir qual caminho seguir e todas as maravilhas e perigos presentes em cada uma das opções fazem referência às incertezas que antecedem uma escolha.

Do Brasil (Vander Lee) – Obra prima composta pelo saudoso e genial compositor mineiro Vander Lee, “Do Brasil” canta e homenageia aqueles brasileiros cujos trabalhos, apesar de essenciais, são diariamente invisibilizados ou esquecidos. Assim, a canção homenageia os trabalhadores rurais, os motoristas, os cantadores, e evidencia a necessidade de se cuidar do povo, que apesar de anônimo, trabalha incessantemente para a construção e manutenção do país.

Na Praça (Lislie Fiorinni e Mayke Campos) – Com ritmo maxixado e elementos característicos das fanfarras que costumavam ocupar as praças em décadas passadas, essa canção exalta a beleza e as características das praças de Belo Horizonte. Tendo como mote uma história de amor que tem início na Praça da Estação, passa por diversas outras e tem seu ápice na Praça da Liberdade, “Na Praça” é uma homenagem leve e divertida à capital mineira. Em virtude da comemoração dos 120 anos da cidade de Belo Horizonte, um clipe desta canção está sendo produzido.

Redes Sociais:

Instagram: @lisliefiorinni

Facebook: https://www.facebook.com/lisliefiorini/

Youtube: https://www.youtubecom/user/LislieFiorinni

Serviço:

Show de lançamento do álbum Lislie Fiorinni

Data/Horário: 23 de novembro 2017, quinta-feira, às 20h

Local: Teatro João Ceschiatti

Endereço: Av. Afonso Pena, 1537 – Centro / Belo Horizonte – MG

Ingressos: R$10,00 (Inteira) R$5,00 (Meia)

Informações para a imprensa: Luz Comunicação – www.luzcomunicacao.com.br

Jozane Faleiro – 31 992046367 / 31 35676714- jozane@luzcomunicacao.com.br

Wandra Araújo – 31 999645007 – imprensa@jozanefaleirocom

0 0 1310 17 novembro, 2017 Agenda Cultural, Fique Por Dentro novembro 17, 2017

Sobre o autor

CEO e Fundador da 2/1 Revista Eletrônica, Relações Corporativas, Ombudsman, atuou no Jornal O GLOBO (GRUPO GLOBO), Diário da Tarde (Diários Associados), Diário do Comércio, Pohlig Heckel do Brasil (Grupo Belgo Mineira) e Diretor de Relações Públicas do Rotary Club.

Ver todos os artigos por Jean Hausemer

Postagens relacionadas

Artigos recentes

  • A morte do sandinismo histórico
    A morte do sandinismo histórico
  • A inflexibilidade alemã
  • VAMP O MUSICAL – COM CLAUDIA OHANA E NEY LATORRACA NO ELENCO
  • Riviera lança álbum “Aquário” no Cine Theatro Brasil Vallourec
  • Inscrições abertas para o curso técnico em enfermagem da Escola Técnica Santa Casa BH
  • Retrato desenhado a mais de 198 anos, por Jean Antoine Felix Dissandes de Monlevade.
  • Arthur Melo faz show de pré lançamento do seu novo disco em BH