Leonardo Beltrão lança o livro-objeto “Poemas de Muro e Amor”
Publicado por

Leonardo Beltrão lança o livro-objeto “Poemas de Muro e Amor”

Leonardo Beltrão lança o livro-objeto “Poemas de Muro e Amor”, que compila textos do projeto #umlambepordia

Com 119 lambes destacáveis, criados de forma artesanal, publicação será lançada pelo escritor e produtor mineiro na próxima terça-feira (29), no Mama / Cadela

poesia onde menos se espera
isso é o que nos move
é o que nos faz seguir

Depois de espalhar pelas ruas de Belo Horizonte centenas de lambes com poemas, frases, micro-histórias afetivas e pequenas narrativas do cotidiano, o escritor e produtor cultural Leonardo Beltrão reúne trabalhos do projeto #umlambepordia em seu segundo livro, “Poemas de Muro e Amor”. O lançamento acontece na próxima terça-feira (29/8), a partir das 19h, no espaço Mama/Cadela. A entrada é franca e exemplares da obra serão vendidos e autografados. Na ocasião, cada um dos presentes poderá colar alguns lambes em um mural coletivo que tomará forma durante o lançamento.

“Poemas de Muro e Amor” compila textos do projeto que, desde 2015, tem espalhado lambes poéticos por Belo Horizonte e outras cidades brasileiras. “Comecei a trabalhar no Sesc Palladium em 2014, na mesma época que lancei ‘A Festa do Adeus’ (primeiro livro do escritor, publicado pela Relicário Edições). Numa tarde, acompanhei uma oficina de lambes com a artista Laura Guimarães, e ela usa bem essa ideia dos textos poéticos no seu projeto “Microrroteiros da Cidade”. Adorei aquilo! Me lembrei da época em que era adolescente e saía pelas ruas de Varginha para colar os lambes de divulgação de shows com meu pai, que é maestro e produtor cultural. Ajudava a fazer o grude, toda aquela coisa. Já estava planejando lançar pequenas pílulas de trechos do ‘A Festa do Adeus’ e pensei que o lambe poderia ser a plataforma ideal”, relembra Beltrão.

Com alguns lambes já criados e um projeto ainda sem nome, Leonardo entrou no edital da Virada Cultural de 2015, quando batizou a ideia de “#umlambepordia”. Em dois dias, foram coladas 2 mil peças pelo centro da cidade. Passado o evento, o escritor continuou com o projeto, que foi ganhando novos contornos e cada vez mais seguidores. “Em BH, os lambes estão mais na Região Centro-Sul, no Santa Tereza, Santo Antônio, Savassi, além de Varginha, que é minha cidade-natal, Rio de Janeiro, São Paulo e Salvador. Fiz alguns murais, também, na Amadoria, no FIT e no Descontorno Cultural 2016, e em alguns centros culturais da capital”, conta, lembrando que depois dos lambes vieram novos suportes como os imãs e as ecobags.

O livro

Após quase três anos de projeto, e cerca de 700 textos nas ruas, Beltrão se prepara para atender ao pedido de muitos admiradores do #umlambepordia, que procuravam pelas peças para colar por conta própria. Nasce, então, “Poemas de Muro e Amor”, livro-objeto contemplado pelo edital “Descentra”, da Fundação Municipal de Cultura (FMC/PBH). “Fiz uma seleção afetiva de alguns dos lambes de minha autoria. A ideia é devolver esses lambes ao público, dando oportunidade de cada um colar o seu onde bem entender, já que todos as páginas do livro serão destacáveis. É uma obra para ser ‘destruída’. Ela se descontrói enquanto livro, de certa forma, mas ganha vida em outros lugares. Emoldurada, na geladeira e, principalmente, nas ruas”, explica o escritor.

A nova empreitada contou com o apoio dos designers Bruno Nunes e Leo Rosário, e de Ademir Matias, da Tipografia Matias (uma das últimas ainda em atividade comercial em BH), onde os lambes foram esteticamente reinventados numa proveitosa imersão tipográfica. Foram selecionados 119 lambes, que estão dispostos nos dez capítulos do livro-objeto. “A maioria trata de temas universais. Tem o amor em excesso, o amor quando acaba, uma série com os verbos terminados em ‘mar’, outra série sobre os signos. Tem um capítulo que é a ‘Cidade Invisível’, que já diz mais da ocupação do espaço público, da mobilidade, da arte de rua. Têm vários sobre viagens, encontros, carnavais”, elenca Beltrão.

Publicação independente, com caráter artesanal, “Poemas de Muro e Amor” terá 500 exemplares disponíveis em sua primeira edição, todos numerados. O livro-objeto ainda oferece dicas sobre como colar os lambes nas paredes da cidade, de casa ou de onde o leitor preferir. “Eu sempre militei pela literatura, que é um dos segmentos mais marginalizados da cultura. O #umlambepordia surgiu com o objetivo de chamar atenção para a literatura, a poesia, já que estamos falando de um país onde mais de 70% das pessoas nunca leram um livro. E o livro faz parte essa luta”, reflete Beltrão, que já prepara o lançamento de sua terceira publicação.

Sobre o autor

Nascido em Varginha e radicado em Belo Horizonte, Leonardo Beltrão trabalha desde 2014 como gestor e produtor cultural, tendo atuado junto a instituições como Museu Inhotim, Sesc Palladium, Fundação Clóvis Salgado e Ministério da Cultura. Atualmente, dirige a Através – Gestão Cultural. Em 2014, após uma viagem de um ano percorrendo países e cidades da África e da Europa, lançou seu primeiro livro, “A Festa do Adeus” (Relicário Edições). Um ano depois, criou despretensiosamente o projeto #umlambepordia, que hoje conta com milhares de seguidores e celebra quase três anos de vida com o lançamento de “Poemas de Muro e Amor”.

SERVIÇO

Lançamento do livro “Poemas de Muro e Amor”, de Leonardo Beltrão
Quando. dia 29 de agosto, terça-feira, às 19h
Onde. Mama / Cadela, Rua Pouso Alegre, nº 2048, Bairro Santa Tereza
Quanto. Entrada Gratuita. A publicação será vendida a R$ 45 no lançamento
Mais. www.facebook.com/events/165921037289369

Informações para a imprensa:

Fernanda Machado
(31)98858-1296
comunicacaofloriano@gmail.com
FLORIANO COMUNICAÇÃO

Nenhum texto alternativo automático disponível.
A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo
A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e atividades ao ar livre
0 0 1450 23 agosto, 2017 Agenda Cultural agosto 23, 2017

Sobre o autor

CEO e Fundador da 2/1 Revista Eletrônica, Relações Corporativas, Ombudsman, atuou no Jornal O GLOBO (GRUPO GLOBO), Diário da Tarde (Diários Associados), Diário do Comércio, Pohlig Heckel do Brasil (Grupo Belgo Mineira) e Diretor de Relações Públicas do Rotary Club.

Ver todos os artigos por Jean Hausemer

Postagens relacionadas

Artigos recentes

  • A morte do sandinismo histórico
    A morte do sandinismo histórico
  • A inflexibilidade alemã
  • VAMP O MUSICAL – COM CLAUDIA OHANA E NEY LATORRACA NO ELENCO
  • Riviera lança álbum “Aquário” no Cine Theatro Brasil Vallourec
  • Inscrições abertas para o curso técnico em enfermagem da Escola Técnica Santa Casa BH
  • Retrato desenhado a mais de 198 anos, por Jean Antoine Felix Dissandes de Monlevade.
  • Arthur Melo faz show de pré lançamento do seu novo disco em BH