Janot pede a STF prisões de Joesley, Saud e Marcelo Miller
Publicado por

Janot pede a STF prisões de Joesley, Saud e Marcelo Miller

Brasil

Procurador-geral da República pede a Supremo que prenda proprietário e executivo da JBS, por terem “omitido” informação, como também ex-procurador acusado de ter sido “captado” pelos empresários, divulgou mídia.

 Rodrigo Janot (picture alliance/dpa/A.Machado) Procurador-Geral da República vê descumprimento de cláusula de delação

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF), nesta sexta-feira (08/09), a prisão preventiva do empresário Joesley Batista, um dos donos da multinacional JBS, de Ricardo Saud, executivo da empresa, e do ex-procurador Marcelo Miller, divulgaram sites da mídia brasileira.

O documento com o pedido de Janot está sob sigilo e a decisão depende do juiz Luiz Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no STF, escreveu a mídia.

Leia também:

Janot denuncia senadores do PMDB

Janot decide pedir revogação da imunidade de delatores da JBS

O pedido do procurador-geral abrange também Ricardo Saud, executivo da JBS, que, junto a outros dirigentes da empresa, acusou o presidente Michel Temer de corrupção, no âmbito de um acordo de cooperação judicial.

O motivo do pedido de prisão é um áudio com quatro horas de duração em que Batista e Saud revelam ter “omitido” informação nos seus testemunhos à Justiça, o que obrigou Janot a abrir uma investigação que pode revogar a imunidade que os dois obtiveram quando confessaram atos ilícitos.

Brasilien Joesley Batista (picture alliance/ESTADAO CONTEUDO/D. Sampaio) Pedido de prisão vem depois de Joesley Batista ter sido ouvido pela PGR

Nesse áudio são também feitas “referências indevidas” a juízes do STF e à Procuradoria-Geral da República (PGR). Essas referências envolvem Marcelo Miller, antigo colaborador de Janot, que deixou a PGR no final do ano passado para trabalhar num escritório de advocacia que acabou sendo contratado pela empresa JBS para negociar o acordo de colaboração da empresa com a Justiça. Na gravação é sugerido que Miller foi “captado” pelos empresários para facilitar o acordo que os livrou da cadeia.

O pedido de prisão veio após a Procuradoria-Geral da República ter ouvido Joesley e Saud, na quinta-feira em Brasília, e Marcelo Miller, na sexta-feira no Rio de Janeiro. De acordo com o site da Folha, para a equipe de Janot, houve descumprimento de dois pontos de uma cláusula de delação que tratam de omissão de má-fé.

De acordo com o site do G1, se Fachin autorizar as prisões, o acordo de delação premiada entre a JBS e a Procuradoria-Geral da República deverá ser rescindido, já que o termo de delação “prevê que o acordo perderá efeito se, por exemplo, o colaborador mentiu ou omitiu, se sonegou ou destruiu provas.”

0 0 960 10 setembro, 2017 Acontecimentos setembro 10, 2017

Sobre o autor

CEO e Fundador da 2/1 Revista Eletrônica, Relações Corporativas, Ombudsman, atuou no Jornal O GLOBO (GRUPO GLOBO), Diário da Tarde (Diários Associados), Diário do Comércio, Pohlig Heckel do Brasil (Grupo Belgo Mineira) e Diretor de Relações Públicas do Rotary Club.

Ver todos os artigos por Jean Hausemer

Postagens relacionadas

Artigos recentes

  • VENDE-SE DOIS LOTES DE TERRAS – MUNICÍPIO DE BORBA – ESTADO DO AMAZONAS
    VENDE-SE DOIS LOTES DE TERRAS – MUNICÍPIO DE BORBA – ESTADO DO AMAZONAS
  • Porsche é alvo de operação policial na Alemanha
  • Arábia Saudita inaugura cinema após mais de 35 anos de proibição
  • Irã anuncia que vai produzir ou comprar qualquer arma que precisar
  • Coladera inicia temporada dos shows no Brasil de seu novo disco, La Dôtu Lado
  • MINISTÉRIO DA CULTURA E BRADESCO SEGUROS APRESENTAM “CINDERELLA, O MUSICAL”
  • Loja colaborativa e aceleradora de pequenos empreendimentos locais, Mooca, lança marketplace online