Iconili faz último show da série-laboratório para a produção do novo disco
Publicado por

Iconili faz último show da série-laboratório para a produção do novo disco

Projeto Iconili Lab termina neste domingo, com apresentação da banda n’A Casa


O ano de 2017 foi agitado para o Iconili. Recentemente agraciada pelo edital da Natura Musical, a banda instrumental mineira 
celebrou dez anos de história com um show histórico e, logo depois, engatou as preparações para o próximo álbum. Ainda sem nome, o sucessor de “Piacó” (2015) deve sair no início do ano que vem, com cerca de seis faixas que vêm sendo compostas nos últimos meses. Para lapidar as músicas de maneira diferente, extrapolando o lugar do estúdio, o grupo criou, em parceria com A Casa de Cultura, o projeto Iconili Lab: uma série-laboratório de shows que começaram no mês passado e terminam neste domingo (10). 

Um dos fundadores do Iconili, o saxofonista e tecladista André Orandi conta que o projeto surgiu da ideia de apresentar as músicas ao público após os ensaios da banda. “A gente fez um acordo com A Casa buscando um local de ensaio com possibilidade de tocar toda semana. A ideia foi ter um ponto de encontro para mostrarmos o resultado do ensaio e experimentarmos junto com o público as novas composições”, explica o músico.

Orandi conta que as músicas estiveram em “fase de teste” durante toda a temporada do Iconili Lab, uma vez que o retorno direto do público ajudou “nas escolhas a serem tomadas no processo final de composição”. “Priorizamos as músicas novas, buscando essas respostas do público. Mas também tocamos as antigas, reformuladas, de acordo com a nova formação da banda”, pontua, lembrando que o Iconili agora está com oito integrantes.

O Iconili está em uma fase de amadurecimento. Creio que o caminho seja apostar em um som que tenha um bom groove e uma mensagem gostosa de se escutar”, continua o músico, ressaltando a transição musical desde o último trabalho. “A mudança é percebida nos timbres e na construção. ‘Piacó’ traz mais massa sonora, mais discurso a cada música. A mensagem das novas músicas se dão de maneira mais direta”.

A BANDA

Criado a partir do encontro dos músicos André Orandi, Gustavo Cunha e Rafael Mandacaru, o Iconili começou a ganhar forma em 2006, quando ambos se mudaram do interior de Minas para Belo Horizonte. Na capital mineira, se juntaram ao baterista Pedro de Filippis, e ao baixista Victor Magalhães e começaram a compor. “Esse nosso começo é bem rock psicodélico, progressivo. Surgimos como uma banda de garagem mesmo”, conta Orandi.

Depois do primeiro show, em 2007, o grupo começou a ganhar, aos poucos, novos contornos e integrantes, incluindo a percussão no groove. Da fase mais rocker, os mineiros lançaram o disco “Iconili” (2010), que também vai ser lembrado no show de comemoração. Em seguida, já caminhando pela vertente do afrobeat e outras variadas influências, foram lançados “Tupi Novo Mundo” (2012), e “Piacó” (2015).

Durante esses dez anos de estrada, o Iconili já ocupou os palcos do Circo Voador, no Rio de Janeiro, e do Sesc Pompéia, em São Paulo, além de diversos festivais pelo país, tendo conquistado críticas elogiosas no jornal inglês The Guardian e na revista Rolling Stone. Entre as experiências internacionais estão shows em Buenos Aires, na Argentina, e uma série recente de cinco apresentações no México, a convite do produtor José Luiz Cruz, da rede de festivais internacionais das Culturas em Resistência “Ollin Kan”. Outro destaque na trajetória do grupo mineiro foi a vivência musical com o guitarrista e arranjador nigeriano Oghene Kologbo, que integrou a banda de Fela Kuti.

Em junho, a banda lotou o Teatro Bradesco num show histórico que comemorou os dez primeiros anos de história. Na ocasião, também foi lançada a versão em vinil de “Tupi Novo Mundo” (2013), segundo disco de estúdio do grupo. Atualmente, o Iconili é formado por André Orandi (teclados, sax alto, clarineta), Gustavo Cunha (guitarra, sintetizador), Rafael Mandacaru (guitarra, theremin), Willian Rosa (contrabaixo), Lucas Freitas (sax barítono, clarone alto), Henrique Staino (saxo soprano, sax tenor), Matheus Bahiense (bateria) e Rafael Nunes (percussão).

Serviço: Iconili Lab – Saideira Celebrativa
Quando. Todos os domingos, sempre às 20h
Próximo show: dia 10 de dezembro
Onde. A Casa de Cultura (rua Padre Marinho, Santa Efigênia)
Quanto. R$ 15
Mais. facebook.com/iconilibr | www.iconili.com.br

Informações para a imprensa:

Imagem inline 1

0 0 1020 08 dezembro, 2017 Agenda Cultural, Eventos/Moda dezembro 8, 2017

Sobre o autor

CEO e Fundador da 2/1 Revista Eletrônica, Relações Corporativas, Ombudsman, atuou no Jornal O GLOBO (GRUPO GLOBO), Diário da Tarde (Diários Associados), Diário do Comércio, Pohlig Heckel do Brasil (Grupo Belgo Mineira) e Diretor de Relações Públicas do Rotary Club.

Ver todos os artigos por Jean Hausemer

Postagens relacionadas

Artigos recentes

  • VENDE-SE DOIS LOTES DE TERRAS – MUNICÍPIO DE BORBA – ESTADO DO AMAZONAS – BRASIL / BRAZIL
    VENDE-SE DOIS LOTES DE TERRAS – MUNICÍPIO DE BORBA – ESTADO DO AMAZONAS – BRASIL / BRAZIL
  • Cem anos de Ingmar Bergman, ícone do cinema
  • Cair para levantar
  • Israel e Hamas fecham cessar-fogo após onda de bombardeios
  • Meninos tailandeses agradecem por terem sido salvos
  • Brasileiro conquista ouro na Olimpíada Internacional de Matemática
  • Eventos climáticos extremos devem ser cada vez mais fatais